quarta-feira, 8 de junho de 2016

Cai a mascara da ‘Rede Globo’, MAJU revela que Bonner nunca chegou perto da sua pessoa, leia…

A jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, participou pela primeira vez do “Mais Você” nesta segunda-feira (6). No programa, ela admitiu que sofre com a expectativa de acertar a previsão do tempo no “Jornal Nacional”.
“A jornalista já trabalhava na Globo com meteorologia quando ganhou a oportunidade de trabalhar no "Jornal Nacional". "Ela [sua antiga chefe] disse, 'estamos gostando muito do seu trabalho e o JN esta querendo levar você pra lá'. Eu liguei para minha família e falei, 'vou para o JN'", afirmou. ”
“Eu tenho um episódio muito louco. Tínhamos [ela e o marido] que visitar uns amigos na serra do Rio, e queriam saber se ia ter muita chuva na região serrana. Pelos modelos, disse que estava indicando que correria tudo bem. Ele [o marido] disse, ‘se cair uma gota a gente não sobe no sítio do nosso amigo’. Graças a Deus deu tudo certo”, divertiu-se. “Ele [marido] sofre e eu sofro. É uma responsabilidade! É o motoqueiro que deixar de sair, o fotógrafo que marcou uma locação e não pode. Eu fico chateada mesmo. É compromisso”, afirmou.
A jornalista disse que nunca encontrou pessoalmente com William Bonner, apenas o viu em uma ocasião quando cruzou com ele antes de começar a fazer as previsões do tempo para o telejornal. Os dois interagem por meio de um telão, já que ele apresenta o “Jornal Nacional” do Rio enquanto ela fica no estúdio da Globo em São Paulo. “Quando ia me tornar garota do tempo, tive que ir ao Rio para conversar com a figurinista. Cruzei com ele no corredor, disse oi, mas ele nem sabia quem seria essa pessoa”, lembrou.
Maju falou, ainda, sobre a linguagem mais espontânea que, segundo ela, aproxima o jornal do telespectador – ainda que não agrade a classe de especialistas da área. “Sempre consulto cientistas, e às vezes eles ficam ‘p da vida’. Estou falando para o público em geral e não para a universidade apenas. Dá para deixar de maneira mais leve. Se pegar o conjunto do dia e analisar, às vezes não uso nenhuma expressão. A gente tem bom senso”, afirmou.
Estreia no “JN”: “Gelada e feliz”
Há um ano no “Jornal Nacional”, Maria Júlia Coutinho se lembrou da primeira vez em que apresentou a previsão do tempo no jornalístico. Ele definiu sua estreia como um misto de vitória e nervosismo.
“Foi uma delícia, uma sensação de vitória e também de medo. Lembro que a coordenadora do ‘JN’ veio me abraçar e eu estava gelada. Eu segurei a onda, mas estava gelada e feliz”, contou.
A jornalista já trabalhava na Globo com meteorologia quando ganhou a oportunidade de trabalhar no “Jornal Nacional”. “Ela [sua antiga chefe] disse, ‘estamos gostando muito do seu trabalho e o JN esta querendo levar você pra lá’. Eu liguei para minha família e falei, ‘vou para o JN'”, afirmou.
Racismo na internet: “Linchamento público”
A jornalista assistiu a depoimentos de colegas de emissora, como Monalisa Perrone, Glória Maria e Renata Vasconcellos, e foi elogiada por Chico Pinheiro pelo modo como se posicionou ao receber ataques racistas em sua página do Facebook no ano passado.
“Eu consegui sair de uma maneira forte e elegante porque naquela hora [em recebeu as ofensas] eu não senti. Desde pequena sei muito bem o que é sentir isso. Aprendi com meus pais a me defender e não deixar me abalar. Os xingamentos não mexeram comigo num primeiro momento. Parece um linchamento público pelo tamanho que tomou. O que eu sofria na sala de aula, de repente estou sofrendo em uma rede social no Brasil inteiro”, afirmou.
Maju disse que se emocionou com as mensagens de apoio que recebeu. “Eu desabei de chorar em casa, mas não pelo que aconteceu. Quando vi aquela solidariedade… aquilo mostrou a força da rede social, também, para o lado positivo. Isso foi muito impactante”, considerou.


5 Comentários:

Edinir Scotti disse...

Cara jornalista somente vence na vida que tem capacidade, sorte ou percistencia, continue com o seu trabalho e não ligue para pessoas invejosa e prepotente, o seu visual na telinha nada impete o seu sucesso a cor nada significa oque nos telespectadores queremos é a noticia precisa, a sua simpatia é oque o povo mais quer, deixe de se preocupar com o Bonner

Edinir Scotti disse...

Cara jornalista somente vence na vida que tem capacidade, sorte ou percistencia, continue com o seu trabalho e não ligue para pessoas invejosa e prepotente, o seu visual na telinha nada impete o seu sucesso a cor nada significa oque nos telespectadores queremos é a noticia precisa, a sua simpatia é oque o povo mais quer, deixe de se preocupar com o Bonner

Edvaldo Cosmo disse...

A inteligência, a capacidade, a desenvoltura, a beleza, o charme e a elegância de Maju só comprovam que o preconceito e o racismo são coisas de pessoas medíocres e sem a menor noção do que é grandiosidade e espírito de vencedor. A inveja dessas pessoas é uma doença que culmina em procurar defeitos onde não existem. São pessoas frustradas e que se incomodam com a vitória dos outros. Precisam com urgência serem internadas numa clínica psiquiátrica para fazer um tratamento muito rigoroso, pois estão doentes mentais.

João Silva disse...

Imprensa é sensacionalista demais, olha o título que colocaram no vídeo, só pra chamar atenção mesmo. Parabéns, conseguiram!

edmilson silva disse...

Maju, sou fã incondicional do seu trabalho, fico "P" da vida quando não é vc no JN. DESEJO-LHE TODO SUCESSO DO MUNDO MULTIPLICADO POR MIL. Que Deus lhe abençoe sempre

Postar um comentário

  ©Noticias - Todos os direitos reservados.

Template by Marcelo Teles | Topo